Itália

Pádua: O que ver nessa linda cidade

Recentemente fiz um curso na cidade de Pádua, no norte da Itália. Obviamente, aproveitei a oportunidade para conhecer os principais pontos turísticos e descobrir a história da terra do Spritz (bebida alcoólica a base de espumante meio seco, Aperol e água com gás). Infelizmente, o tempo disponível era limitado, então coletei algumas sugestões e dicas sobre esta região do Vêneto.

A cidade é conhecida pelos famosos afrescos de Giotto e por Santo Antônio, padroeiro da cidade. Além disso, a Universidade de Pádua é uma das mais antigas do mundo (em sétimo lugar exatamente); foi fundada em 1222 e possui o mais antigo Jardim Botânico Universitário do mundo, datado de 1545.

Um fim de semana é suficiente para conhecer e ver as principais atrações, é relativamente perto de outras belas localidades, como Veneza e Verona (que vou falar aqui). Então, se você pretende visitar esta cidade, leia abaixo o que ver em Pádua.

Basílica de Santo Antônio

Certamente a igreja mais importante em Pádua e uma grande meta de peregrinação. Construída em 1231, demorou 80 anos para ser terminada. Tem vários estilos: a fachada românica, cúpulas bizantinas e torre do sino em estilo mourisco. Está aberta todos os dias das 6h20 às 19h45 e a entrada é gratuita. Super aconselho entrar para visitar e descobrir todas as suas relíquias.

Piazza dei Signori e Torre do Relógio

Centro histórico da cidade, rodeado por edifícios do século XVII e de arquitetura característica. É onde a famosa torre do relógio astronômico está localizada. Foi construída na primeira metade do século XIV como portão oriental do Palácio Real de Carrara. Você pode ver que ao redor dos números estão os signos zodiacais, mas se olhares com cuidado, notarás que falta o signo de Libra…

À noite neste local, se encontram muitos bares e pubs onde o pessoal vai para fazer um happy hour até altas horas. Recomendo!

Prato della Valle

A segunda maior praça da Europa (perde apenas para a de Moscou), com cerca de 90 mil metros quadrados, domina o centro da cidade. É composta por uma ilha verde central (Ilha de Memmia, nome dado em homenagem ao seu construtor), 1,5 km de canal ao redor e cercada por 78 estátuas de pessoas famosas do passado, como Galileo Galilei e o poeta Torquato Tasso.

Muito bonita e bem cuidada, nos presenteia uma vista incrível da Basílica de Santa Giustina.

Capela dos Scrovegni

Olhando de fora, não parece que esta capela contenha o ciclo mais relevante de afrescos do mundo. Giotto, no início do século XIV, pintou este lugar, terminando em apenas 2 anos! Para visitar é definitivamente recomendado reservar (mesmo online), eu infelizmente não consegui entrar porque os lugares estavam esgotados. Saiba que apenas 25 pessoas entram de cada vez (incluindo o guia) e se passa por uma sala de compensação por 15 minutos para estabilizar o microclima interno. Para então poder entrar na capela por outros 15 minutos e sair logo após. Pelo o que eu soube é maravilhosa… então se organize com antecedência e não perca!

Praça delle Erbe e Frutta

Também posicionados no centro histórico de Pádua, conhecidos principalmente por seu papel comercial, abriga os maiores mercados de rua da Itália. Piazza delle Erbe assim chamada porque onde havia muitos vendedores de alface, cebola, alho e repolho e Della Frutta pelos muitos verdureiros. Além disso, entre as duas praças está o Palazzo della Ragione (que falarei aqui embaixo). A passagem coberta entre as duas praças é conhecida como o Volto della Corda. Chamada assim porque havia cordas que eram amarradas aos pulsos dos mercantes trapaceiros, erguendo-os por alguns metros para depois deixá-los cair como punição.

Palácio della Ragione

Esta construção na forma de um navio ao contrário foi a sede do Tribunal nos séculos passados. Chamado pelos habitantes de Il Salone (“o salão”), porque o último andar de 80 metros de comprimento e 27 metros de largura, está completamente coberto de afrescos. Em 1420 houve um incêndio que destruiu todas as pinturas de Giotto que estavam presentes, mas hoje conta com decorações de temas astrológicos.

Aberto de terça a domingo das 9:00 às 19:00 (no inverno das 9:00 às 18:00 horas) e a entrada custa 6 euros.

Existem inúmeras curiosidades sobre este lugar medieval. Sob os pórticos você ainda pode ver algumas unidades de medida que foram usadas pelos comerciantes para evitar discussões sobre as quantidades de mercadorias trocadas!

Jardim Botânico

É o mais antigo jardim universitário do mundo, construído em 1545 e ainda preserva a fachada original; contém cerca de 7 000 exemplares de espécies botânicas. Localizado perto do Prato della Valle, está aberto de terça a domingo das 9 às 18 (os horários podem variar dependendo da estação, veja o site para ter certeza) e o ingresso custa 10 euros.

Pessoalmente eu não entrei, porque o tempo disponível não era muito, mas aqui estão algumas fotos tiradas ao externo.

Espero que a sua estadia em Pádua seja tão agradável quanto a minha e não se esqueça: Beba muitos Spritz!

Enjoy 😊

6 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *