Lago Maggiore
Lombardia

Itiner√°rio de carro pelo Lago Maggiore

Localizado na fronteira entre dois países (Itália e Suíça), o Lago Maggiore é um dos lugares mais bonitos e mágicos do norte da Itália. A minha viagem de carro para descobrir este maravilhoso lugar, começou quase por acaso, pois morava por perto.

Foi uma das viagens mais¬†incr√≠veis¬†e surpreendentes que eu j√° fiz por aqui. Mas vamos por partes…

Onde fica o Lago Maggiore?

O Lago Maggiore, tamb√©m conhecido como Lago Verbano, √© o segundo maior lago da It√°lia (212 km¬≤). Como mencionado anteriormente, seu territ√≥rio se estende por dois pa√≠ses, onde 80% de sua superf√≠cie corresponde √† It√°lia e os 20% restantes √† Su√≠√ßa. Tamb√©m ocupa duas regi√Ķes italianas (Lombardia e Piemonte) e um cant√£o su√≠√ßo (Ticino).

Como seus companheiros (Lago de Garda e Lago de Como), √© um lago glacial que se formou no final da √ļltima Idade do Gelo. Diz-se que o seu nome deriva da √©poca romana, quando depois de o terem conquistados aos gauleses, chamaram-no de Lacus Maximus, por acreditarem ser o maior dos lagos italianos.

Um fato curioso? Quando se desenvolveram t√©cnicas cartogr√°ficas mais sofisticadas, percebeu-se que n√£o era o maior lago daqui, mas, enfim … o nome j√° havia sido dado!

Qual é a melhor época para visitar o Lago Maggiore?

Qualquer época é ideal para visitar os lagos do norte da Itália, mas dependendo de suas preferências e orçamento, você encontrará grandes diferenças entre uma época do ano e outra.

Alta temporada

Corresponde aos meses de verão (junho, julho e agosto) sendo o mês de agosto o mais caro e cheio de turistas. No entanto, viajar neste período também tem o seu encanto: os dias são mais longos (o que permite aproveitá-los ao máximo) e, como as temperaturas são mais amenas, pode-se até pensar em tomar um banho!

Baixa temporada

Corresponde aos meses de inverno (dezembro, janeiro e fevereiro), onde fevereiro é o menos aconselhável devido ao frio extremo que se verifica em algumas zonas.

Dezembro, por outro lado, √© uma boa √©poca, pois dificilmente voc√™ encontrar√° muitas pessoas e ainda n√£o est√° muito frio. O √ļnico problema √© que a maioria das vilas e pal√°cios est√£o fechadas durante este per√≠odo.

Meia temporada

Os restantes meses do ano correspondentes à primavera e ao outono são os meses ideais do ponto de vista climático.

Al√©m disso, n√£o h√° muitas pessoas e os dias ainda s√£o bastante longos. Um ponto positivo √© que nestes per√≠odos quase todas as vilas e pal√°cios reabrem ao p√ļblico!

O que ver no Lago Maggiore?

Existem muitos vilarejos e cidades para visitar no Lago Maggiore. Se quiser, também dá para cruzar a fronteira e conhecer os lugares do lado suíço.

Neste artigo, no entanto, me concentrei na região italiana, listando alguns lugares que considero imperdíveis e de fácil acesso com o carro.

Ilhas Borromeo

As Ilhas Borromeo s√£o um grupo de pequenas ilhas (3 ilhas e 2 ilhotas) cujo nome se deve √† fam√≠lia “Borromeo”, uma unidade familiar importante e influente origin√°ria da Toscana, que durante s√©culos teve grande influ√™ncia em Mil√£o e no Lago Maggiore.

No início do século XVI esta família começou a adquirir as Ilhas Borromeo, detendo atualmente grande parte delas.

Existem três ilhas principais: Isola Bella, Isola Madre e Isola dei Pescatori, uma mais fascinante que a outra. Tudo facilmente acessível de barco, partindo de qualquer cidadezinha próxima.

√Č importante lembrar que os pal√°cios e jardins localizados nas ilhas costumam ficar fechados ao p√ļblico durante o inverno.

Stresa

Stresa é uma pequena cidade no Lago Maggiore conhecida principalmente por seu estilo Liberty. A cidade é muito charmosa e possui edifícios elegantes, hotéis exclusivos e jardins cheios de detalhes.

Mas se h√° um edif√≠cio que se destaca dos outros √© a “Villa Pallavicino”: constru√≠da no s√©culo XIX, possui um impressionante jardim ingl√™s e um parque com mais de 50 esp√©cies de animais!

Stresa √© perfeita para ir √†s Ilhas Borromeo (devido √† sua proximidade), mas tamb√©m oferece uma das melhores vistas do lago; de sua marina voc√™ ter√° uma vista de cart√£o postal, com os picos nevados dos Alpes ao fundo e as tr√™s ilhas que flutuam no lago, uma das minhas recorda√ß√Ķes favoritas!

Arona

Arona tem algo especial, n√£o sei explicar o que √©, mas sem d√ļvida √© um dos meus lugares preferidos do Lago Maggiore.

√Č uma pequena cidade √†s margens do lago, que possui uma das vistas mais m√°gicas que pude encontrar durante minhas viagens. J√° estive muitas vezes e a minha lembran√ßa preferida √© de um domingo de inverno por volta do meio-dia quando o sol j√° estava baixando e a cor laranja pintava as montanhas que sustentam o castelo de Angera (a cidade que fica a frente).

Tudo, absolutamente tudo naquele momento parecia emanar magia: os raios de sol refletindo na √°gua, a atmosfera repleta de perfumes buc√≥licos, as ruas pintadas de ocre e pedra que convidavam a se perder … maravilhoso!

Em Arona, voc√™ pode tomar um caf√© na Piazza del Popolo, fazer um passeio rom√Ęntico √† beira do lago ou comer um prato de massa em um dos v√°rios restaurantes com vista para o castelo.

A cidade é bastante pequena, o que permite visitá-la rapidamente. Não perca o centro histórico com suas ruas estreitas e lindas lojas, mas também a estátua de San Carlone, no Monte Sacro.

Nem todos sabem da sua existência porque não é visível, mas basta prosseguir a pé da Piazza del Popolo por cerca de meia hora e você o encontrará, imponente com os seus 35 metros de altura.

O conselho é subir ao topo para admirar todo o panorama de cima, você não ficará desapontado.

Confia em mim!

Angera

Se h√° algo que distingue este lugar √© sem d√ļvida o seu castelo: a ¬ęRocca di Angera¬Ľ. Esta imponente fortaleza passou de m√£o em m√£o ao longo da hist√≥ria: sabe-se que pertenceu por muito tempo √† fam√≠lia Della Torre, uma nobre fam√≠lia italiana que governou Mil√£o durante anos.

Mas em 1277 os Visconti a conquistaram na batalha de Desio, uma guerra feita entre ambas famílias pelo controle de Milão e seu campo.

Somente no ano de 1449 ela mudou de dono novamente … adivinhe quem a comprou? Sim, a fam√≠lia Borromeo, √† qual atualmente ainda pertence.

Ranco

A pequena cidade de Ranco pode n√£o ter grandes atra√ß√Ķes, mas √© um lugar perfeito para repousar e tomar um caf√© √† beira do lago.¬†Possui uma charmosa lagoa onde voc√™ pode passear e um pequeno porto cheio de barcos com vistas espetaculares das montanhas.

Al√©m disso, nesta cidade existe um dos hot√©is / restaurantes mais prestigiados da √°rea, conhecido como “Il Sole di Ranco”, que domina imponentemente toda a colina.

Eremo di Santa Caterina del Sasso

Como se fosse um tesouro, a capela de Santa Caterina del Sasso é um dos lugares mais bonitos que já vi na Itália e continua sendo um dos meus lugares favoritos!

Voc√™ n√£o imagina o que vai encontrar neste lugar m√°gico, e √© dif√≠cil descrever a magnific√™ncia … Tem que ir para entender.

Ao chegar lá, a primeira coisa que se nota é uma longa escada e um elevador. Como adoro caminhadas, optei por descer a pé. A vista é espetacular e a impressão é que as escadas acabam dentro do lago.

O caminho parece longo e intermin√°vel, mas de repente ela aparece: impressionante quanto elegante, uma grande estrutura de pedra delicada desenhada no penhasco.

√Č um precioso mosteiro fundado no s√©culo XIII pelo comerciante Alberto Besozzi de Arolo (Leggiuno), que, durante um naufr√°gio, jurou a Santa Catarina se refugiar aqui em uma caverna.

No local você pode admirar o convento, o pátio interno e a bela igreja, que é o coração artístico e espiritual do local.

Hoje, este lugar é administrado por um grupo de padres Oblatos Beneditinos.

Laveno-Mombello

Localizado na margem oposta de Stresa, na província de Varese (Lombardia), o município de Laveno РMombello é uma posição perfeita para admirar o Lago Maggiore de cima.

Embora a cidade em si seja muito pequena, seu impressionante telef√©rico √© uma das atra√ß√Ķes imperd√≠veis! O bondinho Sasso del Ferro conecta a cidade ao Monte Sasso del Ferro, que est√° cerca de 1.062 metros acima do n√≠vel do mar, em apenas 15 minutos.

Suas peculiaridades s√£o as cabines abertas, 100% panor√Ęmicas (mas cuidado com o vento!); as cabines fechadas s√£o prefer√≠veis para idosos e crian√ßas pequenas.

Durante a subida, com 731 metros de desn√≠vel de altitude, pode-se admirar uma paisagem deslumbrante que abrange, num √ļnico olhar, o Lago Maggiore, os Alpes e os verdes vales, n√£o vai ser f√°cil se esquecer dessa vista!

L√° em cima recomendo um restaurante tradicional chamado Capanna Gigliola, que tem um terra√ßo panor√Ęmico com vista para o lago! E a comida? Nem comento…√© um daqueles lugares que ficar√£o para sempre no meu cora√ß√£o!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.